fbpx

Ejaculação Precoce

Início » Ejaculação Precoce

Você tem Ejaculação Precoce?

Responda este questionário para classificação de Ejaculação precoce do PE Prevalence and Attitudes :

 

1) Você sente que o seu controle sobre a ejaculação durante a relação sexual é…

  • fraca
  • regular
  • bom
  • muito bom
  • excelente

 

2) Qual das seguintes afirmações melhor define a forma como , no seu caso, a duração habitual desde a penetração o até o clímax afetou o seu relacionamento…

  • Um problema para mim , mas não para minha parceira(o).
  • Não é um problema para mim, mas para minha parceira (o) , sim.
  • Um problema para mim e para minha parceira (o).
  • Não é um problema para mim nem para minha parceira(o).

 

A maioria dos paciente com ejaculação precoce (EP) sofrem por 2 motivos. O primeiro sofrimento é de pela própria rapidez da ejaculação que costuma trazer dificuldades e insatisfação para o homem que tem EP , para a pessoa que com quem se relaciona e para  o relacionamento.  O outro motivo de sofrimento, é a herança histórica limitante que via a EP como um problema puramente psicológico e relegava o tratamento apenas a psicoterapia.

 

Quem sofre de EP sabe exatamente do que estamos falando.

Mas os avanços recentes nas pesquisas sobre a EP, o melhor entendimento da genética e a inclusão da visão dos pacientes e não apenas do ponto de vista do especialista, têm mudado a abordagem e permitido o melhor tratamento dos pacientes.

Estudos mostram que falar abertamente sobre EP e trazer esclarecimentos é uma forma eficaz de facilitar a busca pelo tratamento e melhora da qualidade de vida.

 

Sabemos que os principais fatores que costumam dificultam a buscar para o tratamento são:

  • Medo do estigma ou rotulação da Ejaculação precoce;
  • Vergonha e relutância dos homens em discutir os seus problemas e sintomas com o médico ou parceira (o);
  • Percepção que o problema seja transitório ou puramente psicológico ou que não há nada a fazer ;
  • Não saber o que fazer ou onde procurar ajuda ;
  • Insatisfação com o tratamentos recebidos previamente;
  • Insistir em acreditar que não há nenhum problema.

 

Aqui no Centro de Medicina Sexual do Rio de Janeiro estamos comprometidos em transformar os estudos mais modernos sobre EP em protocolos individualizados com visão a médio e longo prazo para garantir o melhor resultado e satisfação dos nossos pacientes. Por isso, nosso tratamento é desenvolvido a médio prazo através de protocolos de acompanhamentos regulares com profissionais médicos urologistas e terapeutas especializados por no mínimo 6 meses.

 

EXPECTATIVA E REALIDADE : RESPONDA A PERGUNTA ABAIXO

Você acha que ejacula rápido ? Na sua opinião , qual o intervalo médio que a maioria dos homens levam para ejacular após iniciar uma relação sexual ?

  1. 3 minutos
  2. 6 minutos
  3. 9 minutos
  4. 12 minutos
  5. 15 minutos

 

Resposta : 5,6 minutos

Em geral , as mulheres levam em média  4 x mais tempo para atingir o orgasmo.

 

Para saber mais sobre os novos avanços em Ejaculação Precoce …

 

A Sociedade Internacional de Medicina Sexual (ISSM) define a EP como sendo uma disfunção sexual masculina caracterizada por ejaculação que ocorre antes de ou logo após penetração associada a incapacidade para atrasar a ejaculação trazendo consequências pessoais negativas, como sofrimento, frustração e evitação de intimidade sexual.

A abordagem mais moderna da EP, também considera um tipo de EP chamada subjetiva , desenvolvida pelos pesquisadores Waldinger e Schweitzer, quando o tempo para ejaculação é considerado “normal” mas o paciente se queixa de insatisfação por não ter o controle e ter a percepção de ejaculação precoce , gerando frustração durante o ato sexual.  A classificação tradicional considerava apenas o tipo EP primária, quando sempre existiu com menos de 1 minuto, e a secundária , quando geralmente ocorre em menos de 3 minutos , podendo ter surgido em algum momento da vida , mesmo que em determinadas situações.

Apesar da EP de ser muito comum , com prevalência acima de 20% da população masculina (24.0% nos Estados Unidos , 20.3% na Alemanha e 20 % na Itália) ainda pouco se fala sobre este assunto. No entanto , as mudanças de paradigma têm sido fundamental para uma maior aproximação entre os profissionais de saúde e os pacientes na busca de um melhor tratamento , melhor satisfação e qualidade de vida.

 

A ejaculação

 

A ejaculação é um fenômeno que ocorre por efeito reflexo  e geralmente envolve os seguintes fenômenos : contração do colo vesical e esfíncter uretral interno , formando uma câmara de pressão para armazenar o líquido seminal (que vem da próstata , vesículas seminais e ductos deferentes )que se acumula na uretra prostática distendida . Na sequência , ocorre aumento da pressão da uretra prostática, relaxamento do esfíncter externo com contração dos músculos do períeno e ao redor da uretra  com expulsão do sêmen, enquanto o colo da bexiga continua fechado.

 

Atualmente , classificamos a EP em 4 subtipos diferentes:

 

EP primária . O IELT é < 1minuto e geralmente está associada a fatores neurobiológicos ou genéticos.

EP adquirida . O IELT < 3minutos e geralmente responde bem a tratamento somático , medicamentoso e/ou anestésico local.

EP Subjetiva . O IELT é “normal” e  geralmente associada a fatores psicológicos .  O tratamento pode ser com anestésicos locais .

EP variável – geralmente ocorre em determinadas situações.

 

O termo IELT (intravaginal ejaculation latency time) foi introduzido em 1994 por Waldinger como uma medida do tempo ejaculatório em relações sexuais heterossexuais e é usado praticamente em todos os estudos clínicos sobre EP . O IELT  é definido como o intervalo entre o momento da penetração vaginal até o momento da ejaculação intravaginal. Atualmente, os pesquisadores estudam a adoção de outro termo que avalie também a ejaculação em situações diferentes da penetraçãoo vaginal.

 

A EP do tipo primária geralmente ocorrem com menos de 1 minuto ap[os a penetração e tem algumas peculiaridades. É caracterizada por um estado hipertônico, consistindo de ejaculação precoce, ereções facilitadas e detumescência precoce , quando o homem está envolvido em uma situação erótica. O melhor entendimento das bases neurobiológicas e genéticas relacionadas a EP e o envolvimento de neurotransmissores como a serotonina e seu diferentes tipos de receptores tem auxiliado na pesquisa por tratamentos mais eficazes .

 

Um grande estudo holandês sobre EP com mais de 70 mil homens mostrou que a maioria dos homens (mais de 50%) geralmente ejaculam dentro de 5 minutos após a penetração e cerca de 30% entre 5 e 10 minutos.

 

Referências

Porst et al. Eur Urol 2007 

Rosenberg & Sadovsky. Int J Clin Pract 2007 

Waldinger e Schweitzer 2006. 

Giulliano & Clement 2005 Ann Rev Sex Res

McMahon et al. J Sex Med 2008